Amizade

Há uns dias observava uma conversa de amigos. Deitavam conversa fora, falavam de tudo e de nada, de temas de interesse comum, outros nem tanto. Há pessoas com quem nos alinhamos muito para além da conversa. São aquelas pessoas que abrandam a nossa respiração, que desembaciam as nossas vidraças e nem sequer o sabem. Deixamo-nos levar pelas suas palavras, pelo que achamos ser uma troca intelectual, mesmo até quando a conversa não tem tanto interesse quanto isso. Temos curiosidade pelos seus interesses e vivências muitas vezes tão distintos dos nossos. Quando essas conversas acabam levamos para casa uma estranha e até inexplicável sensação. Talvez devido a um olhar, sobre um transeunte, um comentário inocente, mas assertivo sobre uma situação ou um desabafo tímido e curto sobre uma situação mais pessoal. A conversa terminou. Observei, enquanto se afastavam. Não sabiam, mas havia algo de diferente na forma como caminhavam. Mais leves, com mais silêncios. Não sei quando se iriam encontrar novamente. Sei que cada um fez diferença na vida do outro. Sei que no fim daquele dia ou passado uma semana tomariam consciência disso. Há sintonias que transportam palavras, mas vivem muito para além destas. Devíamos ter uma antena especial para não as deixar escapar pelos dedos da nossa vida.